domingo, 29 de junho de 2008

D&D 4ª Edição e o Roleplay – Funções

Esse artigo faz parte de uma série sobre o D&D 4ª Edição e o Roleplay. Outros artigos sobre o tema e maiores esclarecimentos você pode conferir no link.

A regra sobre funções de personagens (Character Role), dentre todas as mudanças feitas no D&D 4ª, talvez seja uma das mais polêmicas. Principalmente devido à comparação inevitável que foi feita com os MMORPGs.

Por causa disso existe uma tendência natural dos jogadores, principalmente dos veteranos, em ignorar a regra. Afinal, ela não interfere em sua dinâmica, servindo apenas como um designador de papéis dentro de um combate: “Each character class specializes in one of four basic functions in combat” (Livro do Jogador, pág. 15).

O Livro fala especificamente de um papel que o personagem assume quando está numa situação de combate, ou seja, numa situação onde exista muita adrenalina, uma certa dose de estresse e um perigo eminente. Será que apenas durante o combate clássico do D&D, ou seja, contra monstros, nós teremos essas situações? Será que quando surgir qualquer tipo de perigo, junto com adrenalina e estresse, o personagem também não agiria da mesma forma?

Quando falamos em papel, estamos dizendo de algo muito bem definido e especificado socialmente. Quem assume um papel sabe exatamente o que e quando fazer. Assim temos o papel do caçador, do pedreiro e do médico, como exemplo. Sabemos para que servem e o que conseguir delas, assim como quem as escolheu também sabia.

Para se assumir qualquer tipo de papel, é preciso ter certa afinidade com ele, ter características que combinem com o papel escolhido. Por isso eu pergunto: quais características o seu personagem possui que o fez escolher uma função específica? Como é a personalidade de uma pessoa que escolheu ser Defender ou Striker?

Tomando como base as descrições das Funções (Roles), vou analisar como pode ser a personalidade de alguém que se colocou em determinado papel e como seria sua reação provável quando diante de situações que tragam ameaça ao grupo.

Defender
O defender é o primeiro a enfrentar as dificuldades que o grupo encontra. É ele quem se coloca à frente do grupo como seu porta-voz, seja para argumentar com as palavras ou com o fio da espada.

Numa situação em que o grupo seja desafiado, questionado ou insultado, é ele quem irá reagir primeiro. Esse tipo de personagem não tolera que falem mal ou critiquem seus amigos, ele irá “tomas as dores” pra si e defenderá o grupo.

Esse personagem é muito sociável e quase dependente de suas amizades. Estando sozinho seu humor deve se alterar e deixa-lo mais triste. Em grupo e colocando-se a frente de seus amigos, esse personagem se sente importante. Acredita que seu valor está na sua capacidade de proteger seus amigos: seja de uma piada feita por um bêbado numa taverna ou de um grupo orc.

Ele confia nas pessoas que estão ao seu lado. Ele se coloca à frente de um combate acreditando que os demais irão fazer a sua parte e até curá-lo quando for preciso. Isso exige confiança.

Ele também funciona como uma espécie de termômetro do grupo. Quando a situação está ruim, com o estresse e a adrenalina alta, ele será o primeiro a demonstrar. Poderá reagir berrando para espantar o medo, golpeando o ar para aliviar a tensão ou mesmo xingando o grupo para conseguir deles uma reação diferente do que o desânimo.

Controller
O controller parece ser o mais “sangue frio” do grupo. Sua postura de permanecer a distância dos combates, atacando a todos os inimigos de uma só vez, sugere que ele seja mais controlado no sentido de não se deixar contaminar pela adrenalina do momento. Seu temperamento controlado o impede de sair para o combate aberto.

Esse personagem possui uma visão mais ampla da situação. Sua atenção não está voltada apenas para um objeto específico, ao contrário, é o tipo de pessoa que está atenta a tudo o que está ao seu redor. Ele não dá atenção ao destaque, mas ao todo.

A ironia pode ser uma característica muito presente nessa personalidade. Pois, apesar de ter um temperamento controlado ele é extremamente agressivo. Como não se exalta facilmente, ele raramente irá gritar ou berrar, ao invés disso, irá agredi-los com colocações irônicas e provocativas.

Um personagem assim sente-se bem quando tem um grupo à sua frente. Dessa forma, ele tem tempo e espaço suficiente para entender o que está acontecendo quando é desafiado. Se fosse o contrário e ele fosse pego de surpresa e tivesse que reagir rapidamente sem antes poder tem uma visão geral sobre toda a situação, esse personagem iria sentir-se frágil e perdido. Seu poder está na compreensão e não na ação impulsiva.

Leader
Um personagem com a função de leader é o que mais dá atenção ao grupo do qual participa. Enquanto todos os outros focam sua atenção no inimigo, ele mantém sua atenção no grupo. Isso demonstra preocupação com o bem-estar dos membros do grupo.

Um personagem assim funciona como mediador das disputas internas de um grupo. Sua preocupação com o grupo o torna um grande conhecedor das pessoas que nele estão e da manutenção do bom relacionamento entre elas, tornando esse personagem o mais adequado como juiz para mediar conflitos que surjam ao decorrer da aventura.

Ele é uma pessoa altamente motivada. Personagens assim não precisam que outros lhe digam o que fazer ou que alguém lhes mostre o caminho. Pelo contrário, são verdadeiros guias, que incentivam e apóiam os outros membros do grupo. Dificilmente um personagem assim se sentirá perdido ou desanimado, pois possui uma motivação própria muito forte.

Um líder é popular. Suas idéias e ações estão de acordo com o que é socialmente aceito. Ele raramente se envolveria em ações que pudessem ser moralmente incorretas, ou contra a lei, não porque ele seja “bom”, isso não é uma imposição moral. Ele procura agir assim para ser um exemplo a ser seguido, ter aprovação, servir como inspiração para as outras pessoas.

Striker
O Striker é o personagem mais independente do grupo. Numa situação de combate ele é o primeiro a abandonar sua posição de dentro do grupo e a se posicionar mais próximo dos inimigos, demonstrando grande autonomia, coragem e independência de ação.

Esse personagem age sozinho. Ele não depende de outros personagens para agir ou para fazer algo, muito menos precisa de autorização. Essa característica também mostra que é o tipo de personagem mais difícil para se conviver em grupo. Sua independência e liberdade atuam muitas vezes contra os interesses do grupo, de seu líder ou de seus membros.

Esse personagem tem uma visão sobre o mundo e as pessoas bem diferente dos outros. Isso se deve à sua postura em combate, que é sempre buscar um local diferente para desferir seu golpe, local esse que deve ser onde ninguém mais esperava. Saber se colocar onde ninguém espera que você esteja significa pensar como ninguém mais pensa, ser diferente, não convencional, até mesmo ser considerado “estranho” por muitos.

6 comentários:

Leandro Pugliesi disse...

Faz tempo que não posta heim rapaz?
Que que houve??

Bem, prazer em conhece-lo, também estava a traduzir os textos da wizards e agora apenas anuncio as novidades quando tenho tempo.

Espero podermos nos falar com frequencia para trocarmos dieias para os blogs!

Até

bperes disse...

Aeee... hehehe passei a bola pra vc :P

http://www.panodefundo.net/

Abrass

Emanoel Ferreira disse...

PARABÉNS PELO REFLEXÕES RPG!
GOSTARIA QUE VC ENTRASSE COMO SEGUIDOR EM MEU BLOG, O "TABERNA BLOG - RPG":
www.blogtaberna.blogspot.com

ROLA PARCERIA? RESPONDE LÁ. VLW

And Becker disse...

olá...

gosteiu do teu blog... é uma boa referência pra quem busca um rumo sobre rpg e educação...

mas eu vim mesmo foi avisar que to adicionando o blog no rpgnoblogger, mas não sei em qual categoria classificá-lo dá uma visitada pra me dizer ok?

flws

Phil Souza disse...

Cadê você cara!!! Otimos posts só que agora interrompidos!

Alexandre disse...

Onde estão os posts?!
http://www.rpgista.com.br/?p=579